29 de maio de 2010

Evangélicos: Vamos falar sobre sexo para reduzir abortos


O corpo da maior nação evangélica, os EUA, lançou na quinta-feira uma iniciativa nova de redução do aborto onde a discussão sobre sexo é o foco principal.


A atividade sexual fora do casamento está ocorrendo em um nível significativo entre os jovens evangélicos, disse a Associação Nacional de Evangélicos (NAE, em inglês). Jovens e solteiras evangélicas estão entre aqueles que estão abortando. 

"Há um número significativo de abortos que ocorrem no seio da comunidade evangélica, mas nós realmente não falamos sobre isso", disse Galen Carey, diretor de assuntos governamentais da NAE, The Christian Post. "Então, queremos estimular uma conversa." 

"Nós acreditamos que há uma ligação estreita com o respeito ao sexo e um respeito pela vida", acrescentou.

O
 NAE, que representa 40 denominações e 30 milhões de evangélicos nos EUA, lançou a "Teologia do sexo brochura" no início desta semana que espera inspirar a discussão sobre sexo dentro da igreja. O livreto de 24 páginas enumera quatro razões para o sexo: "uma só carne" para consumar o casamento, a procriação, a expressão de amor ao cônjuge, e gozo e prazer.

"Quando as pessoas têm relações sexuais com alguém que não seja seu cônjuge, elas se envolveram em um ato de vida, sem intenção de unir as suas vidas", afirma o livreto. "Este ato viola não só o parceiro, mas também a intenção de 
Deus para o sexo."

A cartilha também destaca que 
Deus planejou a vida humana a vir de "o mais íntimo, a união amorosa possível: a relação de uma só carne de marido e mulher."

"Como discernir o que está acontecendo em nossas igrejas e comunidades, percebemos que apenas ser contra a legalização do aborto não é uma resposta adequada", disse Carey. "Na verdade nós precisamos de abordar a questão real que as pessoas reais enfrentam, principalmente com o casamento ser adiado."

Carey observou que os jovens, solteiros evangélicos no período dos 20 anos são confrontados com a ética sexual e precisam de ser apoiados, se deparam com uma decisão sobre o aborto.

A discussão sobre a finalidade de 
Deus para o sexo é a primeira parte da nova iniciativa da NAE redução do aborto. A segunda parte consiste em estimular as conversas entre os evangélicos e outros segmentos da sociedade sobre como eles podem trabalhar juntos para reduzir o aborto.

Pesquisas indicaram que a maioria dos americanos gostariam de ver menos abortos no país. A pesquisa Pew Research Center no ano passado revelou que dois terços dos norte-americanos, acima de 59 por cento, em Julho de 2005, disse que seria bom reduzir o número de abortos realizados nos
 EUA.

Além disso, uma pesquisa realizada no ano passado pelo Gallup, Inc. para o
 NAErevelou que quase nove em cada 10 evangélicos acreditam que o aborto é um problema grave no país. A pesquisa também constatou que os evangélicos acham que deve ser uma prioridade importante no país para trabalhar em conjunto para reduzir o número de abortos.

Em resposta aos resultados da votação, a Câmara
 NAE de administração aprovou uma resolução, reafirmando que o grupo "ativamente, ardente e inabalável se opõe ao aborto sob demanda." Ela também observou que os adversários de longa data da posição do NAE do aborto manifestaram interesse em trabalhar em conjunto para reduzir o aborto nos Estados Unidos.

"Sem comprometer nossas convicções fundamentais, buscamos conversa honesta sobre as formas de alcançar este objetivo", diz a resolução. "Essas conversas devem construir a nossa preocupação comum com a dignidade humana, a proteção das crianças e promover as famílias e comunidades saudáveis".

Carey disse que o
 NAE não começou chegar aos grupos ainda, mas está considerando estender a mão para as organizações dos direitos dos deficientes.

"Mais de 90 por cento das gestações onde há um diagnóstico pré-natal de anomalia fetal resultam em aborto", observou Carey, que tem um filho com síndrome de Down.

Ele explicou que embora as organizações de síndrome de Down querem aborto legal para permanecer, eles também querem que os pais recebam informações precisas para que os bebês menores sejam abortados.

A
 NAE Generation Forum, que supervisiona os esforços do grupo para iniciar os cristãos evangélicos em reduzir abortos, vai sediar eventos em todo o país para estimular o diálogo sobre como as igrejas locais possam efetivamente reduzir o número de abortos em suas congregações e comunidades. O primeiro fórum NAEsobre o respeito do sexo e aborto redução foi realizada no Wheaton College, em Wheaton, Illinois, na quinta-feira.

Será que o Brasil também não deveria aderir a uma discussão séria sobre o assunto?

Fonte: O Galileo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails