6 de julho de 2010

A Parábola do Homem Rico e Insensato - “Os erros que lhe deram o nome de LOUCO”



por Alexandre Pitante

“Mas Deus lhe disse: Louco, esta noite te pedirão a tua alma, e o que tens preparado para quem será? Assim é aquele que para si ajunta tesouros e não é rico para com Deus”. (Lc 12.20,21)

Diante da propagação da funesta “teologia da prosperidade” hodiernamente, faz-se necessário abordarmos uma rápida reflexão sobre uma das lindas parábolas de Jesus. Apontando os erros que fizeram que o homem rico fosse chamado de LOUCO pelo próprio Deus.

Neste contexto de Lucas doze, Jesus se depara com um homem ganancioso que queria que seu irmão repartisse com ele a herança da família. Jesus vê que havia muitos avarentos por ali e diz:

“Acautelai-vos e guardai-vos da avareza, porque a vida de qualquer não consiste na abundância do que possui”. (Lc 12.15)

Abre-se neste momento uma oportunidade de lhes anunciar uma parábola contra a avareza e a ganância. Jesus apresenta um homem que tinha um campo e que naquele ano tinha produzido em abundância, mais que o esperado.

O homem rico apresenta Três Grandes erros nesta parábola, que são eles:

1- Ele se achava auto-suficiente. (v.17)

A bíblia diz que o homem falava “consigo mesmo”. Ele faz uma pergunta pra si mesmo: “Que farei, pois não tenho onde recolher meus frutos”? Ele poderia ter pedido uma orientação ao Senhor, sua esposa, a um amigo, porém, ele se mostra que não precisava de ninguém a não ser do dinheiro que possuía.

2- Ele se achava dono de tudo que tinha. (v.18)

Depois de perguntar a si mesmo, ele diz o que iria fazer: “Destruirei os MEUS celeiros, reconstruí-los-ei maiores e aí recolherei todo o MEU produto e todos os MEUS bens”.

Este homem erra quando pensa e diz que tudo o que possuía era única e exclusivamente seu. Nada do que possuímos é nosso! Somos mordomos de tudo! Casa, Carros, Bens, Dinheiro, Ministério, Dons, Família, de tudo somos mordomos. Pois mordomia é: “O reconhecimento da soberania de Deus, a aceitação do nosso cargo de depositários da vida e das possessões, e administração das mesmas de acordo com a vontade de Deus”.

Simplesmente estamos administrando aquilo que por bondade o Senhor nos confiou. Mesmo que com muito suor tenhamos conquistado os bens que possuímos, mesmo assim somos mordomos deles, pois foi o Senhor que nos proporcionou “vida”, “saúde”, e “condições” para conquistarmos tais coisas.

A mordomia cristã estabelece como verdade que Deus é o Senhor, o Dono de tudo quanto existe na terra e no céu e concedeu ao homem o privilégio e responsabilidade de administrar. Os homens não são os donos, mas mordomos.

3- Ele creditou nos seus bens o “futuro da sua alma” (v.19)

Este é com certeza o maior de todos os erros deste homem. Ele erra quando se pronuncia a sua alma: “alma, tens em depósito muitos bens, para muitos anos; descansa, come, bebe {e} folga”.

Ele erra quando diz que a alma teria em deposito para muitos anos, creditando assim o futuro da sua alma nos seus bens.

Ele erra quando pensa que sua alma poderia si deleitar com os prazeres deste mundo dizendo: “descansa, come, bebe e folga”. A alma não pode si deleitar com os prazeres deste mundo, este homem si equivoca pensando que seus muitos celeiros, bens e dinheiro dariam a sua alma o direito de ter uma vida longa, cheia de prazeres e descanso.

A nossa alma pra viver eternamente em prazeres e delicias que o Senhor Jesus pode nos dar na sua Glória não precisa de dinheiro e sim do Espirito Santo dentro dela e Cristo Jesus como Senhor, não só da alma, mas do corpo.

A repreensão de Deus diante dos erros do homem rico.

“Mas Deus lhe disse: Louco, esta noite te pedirão a tua alma, e o que tens preparado para quem será?” (v.20).

Os erros deste homem foram tão grotescos que fizeram com que Deus o chamasse de Louco. O interessante é que Deus toca em um assunto que o Homem se achava “expert”, sobre ALMA. Em outras palavras Deus queria dizer a este homem, - “Já que você "pensa" que pode garantir o futuro da sua alma com o seu dinheiro, ainda esta noite a pedirão. E tudo isso que você guardou vai ficar pra quem?”.

Deus estava mostrando ao homem que dinheiro não garante o futuro da alma, mas sim, uma vida cheia do Espírito Santo, de uma conduta santa e irrepreensível diante de Deus, isto sim, garante o futuro da nossa alma ao lado do Senhor para sempre.   

Conclusão

Ser rico não é pecado! Porém amar o dinheiro é! Este homem amava mais os seus bens do que sua própria vida. Entretanto, Cristo não morreu na cruz do Calvário para que pudessemos ter muitos bens, de maneira antagonica a isso, morreu para que pudessemos alcancar a “Vida Eterna” em Cristo nosso Senhor.

A Cruz de Cristo nos garante tão Grande Salvação que não podemos negligencia-lá por qualquer “vida mansa e farta” oferecida por muitos lideres defensores da funesta “teologia da prosperidade”.

Você pode ser rico e ser uma pessoa humilde e Salvo em Cristo, como também pode ser pobre e apresentar todos os defeitos e erros que este homem apresentou.

Humildade não esta caracterizada na roupa que voce veste ou na quantidade de zeros que tem sua conta bancaria.

Humildade se caracteriza pela maneira que eu levo a vida, como trato as pessoas, na minha conduta diante da sociedade, da igreja do Senhor, do ministério, etc.

Um comentário:

  1. adorei muito bom mesmo !!!!! me fez pensar como erro muitas vezes!!!!muito legal........

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails