16 de agosto de 2010

Aonde, quando e com quem manifestar que sou Cristão?




por Alexandre Pitante

Há tanta hipocrisia no meio do povo de Deus. Você não acha? Existem pessoas que se dizem cristão que só manifestam a sua “pseudo espiritualidade” dentro da igreja ou nos finais de semana quando vão a ela. Isso quando vão. Crentes “fakes”, mais falsos do que nota de tres reais.

Lembro da historia da criança que queria morar na igreja, isso porque o pai quando lá estava era um “santo” e em casa um “demônio”. Infelizmente existem cristãos que são assim; prezam por uma aparência dentro da comunidade (igreja) que vivem por terem algum cargo ou por manter um status de “super cristão”, mas fora da comunidade se transformam em crentes maldizentes, murmuradores, mau pagador, que não dão testemunho de um verdadeiro representante de Jesus.


Pensando sobre isso; a parábola do Bom Samaritano (Lc 10.25-37) nos mostra claramente aonde, quando e com quem manifestar o meu cristianismo; se é que sou um verdadeiro cristão?

Jesus propõe uma parábola em resposta a um doutor da lei que havia lhe perguntado quem era o seu próximo para manifestar o “amor”.

Quatro personagens fazem parte desta parábola; um homem, um sacerdote, um levita e um samaritano. Todos viam e iam pro mesmo lugar, viam de Jerusalém e iam para Jericó, porém o homem caiu na mão e salteadores, levaram tudo o que tinha e ainda o espancaram e deixaram na estrada. E com essa parábola Jesus começa a ensinar aonde, como e com quem manifestar a minha vida cristã.

Aonde?  Fora da igreja! (v. 30)

Percebam que todos desciam de Jerusalém, o centro da adoração de Israel; aonde era situado o Templo de Deus. Ir a Jerusalém era habito tanto do sacerdote quanto do levita; lá o sacerdote sacrificava e o levita ministrava perante o senhor, eles faziam parte de uma comunidade cristã. Porém os dois ao passarem pelo caminho e vendo o homem jogado e quase morto cortaram volta dele para não o ajudarem, fingiram que não viram (Pv 21.13).

Hoje dentro da igreja (Jerusalém) é paz do Senhor daqui, graça e paz dali, um sorrisinho falso aqui, uma apertadinha de mão ali. Mas quando saem da igreja e em vez de manifestarem o amor e a vida cristã que supostamente vivem só na hora das reuniões e dentro da comunidade, passam de largo dos necessitados, dos espancados que o diabo deixou a beira do caminho.

Ser crente dentro de quatro paredes é fácil, dar Glória a Deus dentro da igreja é mole, eu quero ver você manifestar o Deus da Glória em sua vida amando o próximo e vivendo uma vida abundante fora dela.

O samaritano mostrou que é fora da igreja (Jerusalém) que se mostra que é cristão, socorreu o homem, atou suas feridas o colocou sobre seu cavalo e levou a uma hospedaria e investiu o “seu dinheiro” na recuperação daquele homem; quem ama investe em vidas (salvação de almas) usando seu próprio dinheiro sem esperar nenhum retorno.

Quando?  Quando estou sozinho! (v.31-33)

A bíblia diz que todos desciam sozinhos pelo caminho. Existem alguns crentes que perto do pastor, do seu líder e de algum irmão da igreja ele é um e quando esta sozinho é outro, se transforma, coloca outro rótulo e mostra quem realmente ele é.

O sacerdote e o levita estavam sozinhos não tinha ninguém observando, então porque salvar aquele homem, não tinha ninguém de testemunha para que eles pudessem se auto-promover em cima disso.  

Eu fico pensando se o sumo sacerdote estivesse descendo com o sacerdote, há, mas mais que depressa o sacerdote diria tenho que salvar aquele homem, tudo para se mostrar ao seu líder ou seu pastor presidente; o sumo sacerdote diria: - Olha como esse sacerdote e prestativo, tenho que consagrá-lo a sumo sacerdote como eu.

Quantos cristão hoje só dizem ser crentes perto dos amigos, pastor, dirigente da igreja, mas quando estão sozinhos agem como o sacerdote e o levita. A todas as igrejas da Ásia Jesus disse: “Eu conheço as tuas obras”. Querido, não tem como esconder de Deus o que você faz sozinho. Ele contempla tudo!

Com quem?   Com pessoas que não pertencem ao meu círculo de amizade! (v. 34-36)

O samaritano demonstrou que amizade ou afinidade não é um quesito para mostrar as pessoas que sou um cristão e que ama o próximo, mesmo que esse próximo não faça parte do meu circulo de amigos.

Todos os leitores da palavra de Deus são sabedores que samaritanos e Judeus não se davam bem (Jo 4.9), mas isso não foi nenhum impedimento para que o samaritano usa-se de misericórdia para com aquele homem e demonstra-se o seu amor e sua vida cristã, não de teoria, mas de pratica.

Muitos hoje vivem uma vida de teoria, e não de pratica. Tiago nos advertiu sobre isso:

“E sede cumpridores da palavra, e não somente ouvintes, enganando-vos com falsos discursos. Porque, se alguém é ouvinte da palavra, e não cumpridor, é semelhante ao homem que contempla ao espelho o seu rosto natural; Porque se contempla a si mesmo, e vai-se, e logo se esquece de como era”. (Tg 1.22-24)

Eu mesmo já recebi convite de irmãos amigos para fazer visita a um outro irmão que não fazia parte de meu circulo de amizade e essa foi minha desculpa; que ele (a) não era meu amigo e por isso eu não ia. Não posso ser hipócrita.

Quantos homens e mulheres estão na mesma situação do homem quase morto, e não importa se somos ou não amigos ou chegados desses, o que precisamos é mostrar que de fato Jesus nos salvou e transformou para ajudá-los, resgatá-los e atar suas feridas e cuidar dessas almas até que possam caminhar sozinhos novamente.

Deus quer que usemos de compaixão para com as todos e não somente aos meu amigos mais chegados. Isso é amor corporativista, fé corporativista, e alguém que age com corporativismo na hora de amar o próximo não é digno do reino de Deus.

***
postou Alexandre Pitante porque não suporta mais tanta hipocrisia dentro da igreja e em muito blogs que se dizem apologéticos 

5 comentários:

  1. Graça&Paz. Ótima reflexão. Nunca tinha analisado a Escritura desta perspectiva. Graças a Deus. Obrigado por nos trazer este ponto de vista sobre esta passagem notável.

    Um grande abraço

    ResponderExcluir
  2. É o testemunho, tem muitos crentes santos e sinceros no Brasil, mas eles não se destacam pois não vivem em busca de publicidade

    Bom Artigo

    Pedro Paulo

    ResponderExcluir
  3. Querido irmão Alexandre,

    A Paz do Senhor,

    Profunda essa sua reflexão. Que Deus continue lhe dando inspiração.

    O interessante desse texto é que Jesus vai utilizar da figura do Samaritano. Gente que era odiada pelos judeus para mostrar o caminho da compaixão e da solidariedade.

    Para Jesus, espiritualidade não se mede dentro de quatro paredes e sim, no dia a dia da vida.

    Faço coro com você: chega de hipocrisia.

    Um grande abraço,

    No Amor de Cristo,

    Pastor Flavio Ferreira Constantino.

    ResponderExcluir
  4. Olá Alexandre, tudo bom?
    Eu gostei da palavra, é edificante.
    Precisamos ser luz do mundo e independendo de manifestarmos que somos ou não cristãos, a nossa luz deve brilhar intensamente em todos os momentos e situações de nossas vida.
    Deus te abenço!
    Ah, eu estou com endereço novo do meu blog.
    Devido a isso, talvez o que você seguia, não funcione mais, siga este novo... Não sei como funciona no google...
    Abraços!

    ResponderExcluir
  5. Querido Pr. Flávio Constantino.
    Paz do Senhor!

    Feliz por mais uma vez o sr comentar e uma de minhas matérias.

    Obrigado pelo comentário e chega de hipocrisia mesmo!

    E sejamos sinceros, principalmente diante das pessoas porque de Deus não tem como esconder mesmo si quisermos.

    O salmista disse: "que o Senhor conhece a verdade no intimo" (Sl 51.6), não tem como nos disfarçarmos d'Ele.

    Abraço em Cristo, Alexandre Pitante.

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails