16 de agosto de 2010

Resgatando a Glória perdida



por Alexandre Pitante

Quem não conhece a história da “Arca da Aliança”? Temos aqui no Brasil como símbolo da nação a bandeira nacional, o brasão da republica e o hino nacional, tres símbolos respeitados pelos brasileiros, mas para Israel a Arca representava muito mais que isso, ela era o símbolo da Glória de Deus. Era na tampa do propiciatório (tampa da Arca) entre os querubins de Glória voltados um pro outro que se manifestava a presença de Deus a Moisés no Êxodo.

Dentro desta arca continha o testemunho vivo dos milagres de Deus ao povo Hebreu; as Tábuas da Lei, o Maná e a Vara de Arão que floresceu eram os conteúdos da Arca. Estas peças testemunham à veracidade dos milagres de Deus no deserto e eram memoriais para o povo de Israel.

Porém um dia esta Glória (Arca da Aliança) foi perdida. Israel após ter perdido em batalha para os filisteus (1Sm 4.2) tiveram a insana idéia de levarem ao campo de batalha a arca da aliança (1Sm 4.3) que fora levada pelos dois filhos do velho sacerdote Eli, Hofni e Finéias. Que eram sacerdotes profanos e filhos de Belial (1Sm 2.12); diz o texto sagrado que se deitavam com as mulheres à porta da tenda da congregação e que profanavam os serviços do templo como filho de sacerdote.

Por final das contas, perdeu Israel mais uma vez para os filisteus e todos os soldados foram mortos, Hofni e Finéias também; a arca da aliança fora tomada pelos filisteus e só um homem escapou para trazer a noticia ao velho Eli que ao ouvir a noticia cai da cadeira e quebra o pescoço (1Sm 4.5-18).

“A Glória foi perdida tudo porque homens estavam brincando com coisa séria, e profanando o sagrado. Quantos Eli (pastores presidentes e lideres de ministérios); velhos, gordos, sem visão e coniventes com os erros de Hofni e Finéias (1Sm 4.18) estão na liderança de igrejas sem a Glória de Deus hoje. Homens velhos não na idade, mas de mente (Rm 12.2); gordos não de corpo, mas inchados do seu próprio eu, cheios de egolatria; sem visão não porque estão cegos, mas com os olhos tapados com a incredulidade (Sl 119.18); e coniventes com o erro de Hofni e Finéias, estes que são os que se dizem homens de Deus, pastores, missionários e pregadores que só querem o seu bem estar e cobram fortunas para pregar e que profanam as coisas de Deus. E por causa disso tudo, a Glória de Deus no seio da igreja esta sendo perdida”.

Naquele instante em que a noticia chegou, à esposa de Finéias que estava grávida dá a luz a um menino, e lhe coloca o nome de Icabô (sig. Foi-se a Glória de Israel).

“Eu fico conjecturando como foi a infância, adolescência, juventude e a fase adulta de Icabô. Todas as vezes que ele saia na rua e alguém o visse, logo lembrava que a Arca de Deus foi tomada e que Israel já não tinha mais glória. E se existia alguém que orava e chorava diante de Deus para que a Arca da Aliança fosse restituída e a Glória de Israel devolvida, esse era Icabô; que conviveu com a desgraça de ser o motivo de lembrança ao povo de Deus de que eles não tinham mais a glória, pois o seu nome indicava isso. Glória a Deus! Pois mesmo a igreja em decadência por falta de Glória, eu creio que ainda existam os remanescentes que choram como Icabô por causa da glória que querem ver ainda o Senhor manifestar a sua presença como no tempo da igreja primitiva, não com essas “novas unções” que vemos hoje, e nem com esse pula-pula barato e essa bizarrice de “cair no poder”, mas com uma manifestação que salva, liberta os drogados, transforma vidas, restaura casamentos, batiza com o espírito santo”.

“Hoje muitos vivem mais preocupados com a suntuosidade dos templos do que propriamente com a Glória manifestada neles, tanto no sentido individual como no coletivo; no individual preocupamo-nos com o estereótipo, como: belas roupas, cargos, títulos, posição social, certificados, bacharéis disso e daquilo, quando na verdade estamos por dentro cheios de podridão, amantes de si mesmo, verdadeiros pornógrafos ambulantes, sepulcros caiados iguais aos fariseus nos tempos de Jesus; no coletivo estamos construindo templos enormes cheios de suntuosidade e gastando milhões, mas dentro deles não há mais manifestação da Glória de Deus e muito menos salvação de almas”.

Mas a grande pergunta que vem à nossa mente é: Como resgatar a Glória perdida?

Noventa e nove anos depois que a arca foi tomada pelos filisteus, Davi que agora era rei de Israel não querendo cair no mesmo erro de Saul em exercer um ministério (Rei) sem a Glória de Deus decide buscar a Arca da Aliança para Jerusalém, isto na segunda tentativa, haja vista que a primeira foi frustrada por não se preparar para tal (2Sm 6.2-11).

Na primeira Davi por não ter se preparado devidamente e com isso se frustrando faz a seguinte pergunta: Como virá a mim a Arca do Senhor?

No capitulo quinze de primeiro crônicas Davi na segunda tentativa nos da algumas orientações lindas de como resgatar a Arca do Senhor que pra nós conota a Glória de Deus. Vejamos as observações de Davi:

1-“Então, disse Davi: Ninguém pode levar a arca de Deus, senão os levitas; porque o senhor os elegeu, para levarem a arca de Deus e o servirem para sempre” (1Cr 15.2).

Se queremos ver como outrora a Glória de Deus manifestada em sua igreja precisamos observar isso; os pastores e a liderança da igreja, ou seja, os responsáveis de trazer a Glória de Deus precisam ser escolhidos por Deus, homens separados e vocacionados pelo o Eterno. O que vemos hoje (me desculpe a expressão) é uma cambada de homens descompromissados com a verdade que por causa de sua intelectualidade, seu dinheiro, seus diplomas, seus dízimos, sem vocação de Deus e sem a Glória sobre os mesmos, estão sendo consagrados e ocupando altas posições na igreja e com isso a Glória esta se esvaindo de nossas reuniões.

“O evangelista Lucas diz que Jesus passou a noite em oração para escolher os doze apóstolos (Lc 6.12), infelizmente hoje é diferente, não se ora mais pra saber quem são os vocacionados por Deus. A pessoa aceita a cristo na segunda, na terça ele é cooperador, na quarta é diácono, na quinta é presbítero, na sexta é evangelista, no sábado é pastor e no domingo esta desviado; simplesmente por falta de preparo e porque fora escolhido pelo homem e não por Deus”.

Precisamos de homens escolhidos pelo Senhor Jesus para liderar a igreja nesta busca pela Glória de Deus!

2- “e lhes disse: Vós sois os cabeças das famílias dos levitas; santificai-vos, vós e vossos irmãos, para que façais subir a arca do Senhor, Deus de Israel, ao lugar que lhe pedirei” (1Cr 15.12).

Além de homens escolhidos por Deus, precisavam ser santificados. Santificação faz parte de todos aqueles que querem experimentar a Glória de Deus em sua vida. Não uma santificação exterior como a maioria das pessoas pensam que santificação é: por fora e não por dentro. A santificação requerida por Deus e por Davi aos levitas era interior, de uma vida separada dos costumes mundanos, uma vida de oração e meditação na palavra de Deus.

Eu costume dizer em minhas mensagens e para meus alunos que santificação é “um processo continuo de vida com Deus”, algo que só pode parar quando o Senhor vier nos buscar, pela morte ou pelo arrebatamento.

É hora de santificarmo-nos ainda mais para resgatarmos a Glória de Deus!

3- “Pois, visto que não a levastes na primeira vez, o Senhor, nosso Deus, irrompeu contra nós, porque, então, não o buscamos, segundo nos fora ordenado” (1Cr 15.13).

Para alguns hoje o púlpito não passa de um palco ou até mesmo um picadeiro, e a igreja um verdadeiro circo ou uma casa de show. Estão buscando fazer a obra de Deus de acordo com o que pensam e acham, a síndrome de marta tem tomado conta te muita gente (a síndrome de servir a Jesus à sua própria maneira). Fazem de suas mensagens o seu show particular, cantores buscando cantar e não louvar a Deus, cantando hinos antropocêntricos e egoístas, sem louvor a Deus. E fazendo tudo como disse Davi: não o buscamos, segundo nos fora ordenado”.

Davi reconheceu que errou, buscando a arca segundo a vontade de seu coração e não a do coração de Deus. Ele sabia que Deus o repreendeu porque na primeira vez fez conforme o que bem pareceu aos “seus olhos” e agora queria fazer tudo diferente e buscar a arca segundo a vontade de Deus.

Muitos pregadores “dizem estar buscando a Glória de Deus” pregando mensagens que dão certo e não o que é certo. Pregam o que o povo quer ouvir e não o que Deus quer falar. E estão fazendo segundo o que não fora ordenado.

Deus esta à procura de homens que respeitem a sua vontade e se submetam a sua soberania e não o contrário.

A igreja evangélica brasileira vive hoje uma terrível inversão de valores: (é claro que ainda existem os ramanescentes) fazendo, pregando, e impondo sobre as pessoas costumes humanos e legalismos que a Palavra de Deus não nos ordenou, e diante disso só me resta dizer o que disse o Pr. João A. de Souza Filho em seu livro “Manual do Ministério Pastoral”; -“Durante vinte séculos a igreja vem dizendo ao mundo que reconheça seus pecados, arrependa-se e creia no evangelho. Hoje, no crepúsculo do seculo vinte e um, o mundo diz à igreja que enfrente seus pecados, arrependa-se e comece a ser a verdadeira igreja do evangelho”.

4- “Sucedeu que, quando os que levavam a arca do Senhor tinham dado seis passos, sacrificava ele bois e carneiros cevados”. (2Sm 6.13)

Se quisermos resgatar a Glória de Deus precisamos sacrificar não bois e nem carneiros, mas a nossa vontade, a nossa carne, porém muitos ao se converterem sacrificaram alguns desejos; se fumava, não fuma mais; se bebia, não bebe mais, mas continua sendo um homicida que mata as pessoas com sua língua venenosa, fofoqueiro, contendeiro.

No sétimo passo Davi sacrificava ao Senhor levando a arca para Jerusalém e só parou quando lá chegou. Para nós isso representa que devemos sacrificar nossa carne continuamente e só pararmos quando chegar à nova Jerusalém.

5- “Disse Davi aos chefes dos levitas que constituíssem a seus irmãos, os cantores, para que, com instrumentos músicos, com alaúdes, harpas e címbalos se fizessem ouvir e levantassem a voz com alegria” (1Cr 15.16).

Davi queria muito louvor e adoração enquanto trouxessem a arca de volta. Quando todos paravam no sétimo passo os levitas sacrificavam ao Senhor os cantores e os músicos louvavam e adoravam ao Senhor.

Louvor e adoração tem que estar intrínseco na vida daqueles que querem viver debaixo da Glória de Deus.

Vamos louvar ao Senhor com Alegria e com hinos espirituais. Chega dessa ladainha que ouvimos hoje, e que dizem ser musica gospel. Onde estão os verdadeiros adoradores?

Vamos resgatar a Glória perdida! Mas observemos estas orientações de Davi para nós.

Conclusão

Davi ao entrar em Jerusalém com a arca se alegrava ao ponto de pular de alegria, pois sabia que estava marcando um novo tempo no seu ministério, que a partir daquele momento seria marcado com a Glória de Deus, antagônico ao rei Saul que reinou sem a Glória alcançando o fracasso do seu ministério.

Davi não aceitou reinar sem a arca ao seu lado, sem ter a Glória de Deus lhe abençoando. A igreja também não pode se acostumar viver sem a Glória e precisamos buscá-la e resgatá-la para ver-mos as pessoas se renderem aos pés de Jesus, pois não é pela intelectualidade ou pela sabedoria humana e sim pela Glória do Espírito Santo que vidas são convencidas de seus erros, pecados, da justiça e do juízo. Gloria a Deus!

***

postou Alexandre Pitante que acredita que a Glória de Deus precisa ser resgatada em nossas igrejas


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails