3 de setembro de 2010

Sinal, Sabedoria e o Cristo Crucificado




por Alexandre Pitante

“Porque os judeus pedem sinal, e os gregos buscam sabedoria; Mas nós pregamos a Cristo crucificado, que é escândalo para os judeus, e loucura para os gregos”. (1Co 1.22,23)


Estamos vivendo uma época de muitas distorções bíblicas, malabarismos teológicos e entre outras tristes situações. Vemos, deste de pessoas humildes sem muito conhecimento bíblico ilaqueados pelos sofismas dos falsos profetas, a homens cheios de sabedoria humana que se apoiam em seus títulos e certificados para conduzirem o rebanho do Senhor.

Muitos estão à procura de um “movimento, mas sem o Avivamento”, entretanto, outros estão em busca da sabedoria a qualquer custo sem a unção do Espirito Santo. Isto nada mais é do que a prática do texto em tela, pessoas que vivem nas extremidades do cristianismo.

Uns pedem sinal (Judeus), querem somente o movimento; espiritualizam tudo; rejeitam a sabedoria e o conhecimento bíblico com se isso fosse do diabo; vivem atrás de profetadas; vivem trocando de igreja procurando um “movimento maior”; só oram no monte (não que eu seja contra, mas Deus só opera lá?); amam serem manipulados pelos falsos profetas; dão uma imensa labuta para seus pastores por serem revoltosos; assim agem as pessoas que estão à procura de sinal.

Estes vivem na primeira extremidade do cristianismo, a do fanatismo pentecostal, àquela que se eu souber demais sou crente de menos. Então por isso, andam atrás de visões (Cl 2.18), em uma pseudosantidade exterior que dá medo, não querem estudar a Palavra de Deus, vivem dentro de uma superstição espiritual medonha, um verdadeiro crente místico.

Este tipo de crente que pede sinal é do tipo que vê bola de fogo na igreja, que pede em sua oração que serafins venham na igreja enquanto ele prega, pensa que pra ser pentecostal de verdade precisa pular, rodar, gritar, estrebuchar no chão e assim vai... esses são os que pedem sinal.   

Estes são os da extrema esquerda, partidaristas, defensores dos falsos profetas, muitos indoutos quanto à Palavra de Deus e por isso levados por qualquer vento de doutrina, sem um fundamento sólido, casas construídas na areia.   

Entretanto, existem os que buscam sabedoria (gregos), os que vivem na outra extremidade do evangelho, a do fanatismo filosófico, àqueles que sabem demais mas são crentes de menos. Esses são os doutores, filósofos e PHD’s que colocaram o Espirito Santo dentro de uma caixa de sapato e O puseram no canto da igreja, isolado e sem ação dentro da mesma; esses são os gregos em busca da sabedoria a qualquer custo e com isso anulam a ação do Espírito Santo.

Enquanto isso a igreja como organização vai minguando, porque uns querem sinal e vivem em uma ponta do evangelho, outros buscam sabedoria esquecendo-se que sem o Espirito Santo são latas vazias e vivem na outra ponta.

Estes são os da extrema direita, doutores quanto a seus conhecimentos, pobres quanto à graça de Deus em suas vidas; visionários quanto a seu auto-enriquecimento, cegos quanto à visão de Deus para a igreja; alegres quanto à sua capacidade filosófica, infelizes quanto à sua salvação em Cristo; membros da igreja de Laodicéia, mornos que estão prestes a serem vomitados (Ap 3.14-19).

Mas poucos são os que querem fazer como Paulo, que viveu e pregou o Cristo crucificado que representa a centralidade de tudo: do evangelho, vida, salvação, amor, esperança, fé. A Cruz de Cristo é a expressão máxima do centro. Quem anda e vive sob a cruz de Cristo não anda nas extremidades em incongruência com o evangelho, mas anda em equilíbrio com o evangelho e a Palavra de Deus.

Quem têm a Cristo crucificado como sua mensagem peculiar, este é abençoado pelo Jesus que foi crucificado no meio (Mc 15.27) e que habita no meio do seu povo (Mt 18.20).

Quem compreendeu a mensagem do Cristo crucificado, compreendeu a mensagem do evangelho, porém quem não compreendeu isso ainda vive a si enganar e enganar os outros com filosofias vãs, legalismos religiosos e misticismos espirituais.

Vivendo e analisando o Cristo crucificado podemos sim: ser pentecostais e conhecedores da Palavra ao mesmo tempo. O que precisamos não é escolher uma dessas pontas e andar nela e sim andar no centro de tudo através da Cruz do Cristo, só através dEle e da mensagem da cruz é que seremos equilibrados e centrados na nossa vida cristã.

Não seja um judeu que pede sinal e nem um grego que so busca sabedoria, seja um Paulo que vive e pregua o Cristo crucificado. A Cruz de Cristo uni a unção (sinal) com o conhecimento (sabedoria) e com isso se tornará um crente equilibrado para Gloria do Senhor Jesus.


***  
Alexandre Pitante é pregador itinerante e professor de Teologia Básica no Avivamento pela Palavra. 

2 comentários:

  1. Querido irmão Alexandre Pitante,

    A Paz do Senhor,

    Quero parabenizá-lo mais uma vez pela sua inteligente reflexão. O fato é que temos buscado mais as mãos de Deus do que o Seu rosto. Por isso a igreja tem vivido um cristianismo tão fraco.

    Quando os discípulos voltaram daquela missão ficaram maravilhados pelos sinais que aconteceram. Jesus então diz a eles o seguinte: "Mas não vos alegreis porque se vos sujeitem os espíritos; alegrai-vos, antes, por estar o vosso nome escrito nos céus".

    Um grande abraço,

    No Amor de Cristo,

    Pastor Flavio Ferreira Constantino.

    ResponderExcluir
  2. Amado Pr. Flávio Constantino.
    A Paz do Senhor!

    Obrigado pelo elogio e incentivo.
    Que o Espírito Santo nos ajude a buscarmos o rosto do Senhor, mesmo.

    E nos preocupamos mais com a nossa salvação, com o nosso nome escrito nos céus, do que com os sinais.

    Abraço em Cristo, Alexandre Pitante.

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails